sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

FUTEBOL - Ceará e Fortaleza: rivais unidos pelas vaias

Não me lembro de uma temporada nos 10 ou 15 anos mais recentes que tenha
começado tão conturbada para Ceará e Fortaleza ao mesmo tempo. Ambos viveram um 2016 bastante frustrante – certamente é um potencializador – e têm encarado, cada um a seu modo, a indignação de suas torcidas de forma bastante precoce.
Estamos no começo de fevereiro. O Fortaleza entrou em campo cinco vezes e nem a vitória sobre o Ceará por 1 a 0, no dia 22 de janeiro, serviu para serenar os ânimos de uma torcida que se mostra indignada com a condução técnica da equipe e formação do elenco. As vaias e protestos são constantes e já culminou com mais um “workshop”de torcedores organizados no Pici.
O Ceará entrou em campo também em cinco oportunidades e as vaias também têm sido constantes, independente dos resultados. Diante do Tiradentes, nesta quarta-feira, no Castelão, a finalização do 1 x 0 pelo árbitro veio acompanhada por uma estrondosa vaia geral, que também apareceu durante toda a partida. A impaciência com a lentidão do time e falta de intensidade é enorme.
Não tiro a razão de quem reclama, apesar de ainda entender que está cedo demais. O futebol até agora tem sido bastante pobre, desorganizado, preguiçoso. É muito bom que haja senso critico da torcida em cobrar tanto qualidade técnica como raça. Essa sem dúvida é uma de suas obrigações. A preocupação certamente é com o futuro, porque o estadual sempre vai ser conquistado por um ou por outro.  O problema é que não basta.
O que os torcedores têm visualizado neste início de temporada é que o futuro parece nebuloso com o que tem sido mostrado até agora. Alvinegros e tricolores não enxergam possibilidade de evolução. É um sinal de alerta importante para os dirigentes. Um sinal de que Ceará e Fortaleza começam a temporada mais unidos do que nunca.
COM INFORMAÇÕES O POVO
FONE: 34121595 FIXO - (88) 9-92.026.830 CLARO (88) -98602540 9 TIM
JORNAL CENTRAL  QUIXADÁ . NO  QUE É WATSAPP 88 - 9 - 96331144
POSTADA  POR GOMES SILVEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário