terça-feira, 18 de abril de 2017

Empresário de Cássio Ortega diz que Fortaleza está atrasando salários e direitos de imagem


A dois dias do terceiro e decisivo jogo do Fortaleza contra o Ferroviário, que vale vaga na final do Campeonato Cearense,
o empresário do atleta Cássio Ortega, meia do Leão, acusou o time de atrasar salários e direitos de imagens
de alguns atletas. Ele também fez críticas a Marquinhos Santos, alegando que o técnico do clube "escanteou" Ortega e outros jogadores.

Em contato com o Esportes O POVO, Gilson Medeiros, empresário de Cássio Ortega, disse que o salário do mês de março do atleta ainda não foi pago e que os valores referentes aos direitos de imagem também não são pagos desde fevereiro. Segundo Medeiros, outros atletas estão em situação semelhante, dando como exemplo Juninho Potiguar e Allan Vieira. 

O Diretor Financeiro do Fortaleza, Gigliani Maia, nega as acusações. "A rigor, os salários estão em dia e direitos de imagem pagos", disse, de forma lacônica. O Esportes O POVO conseguiu contato com o empresário de Juninho Potiguar, Lupercio Segundo, que não quis comentar sobre o assunto. 

Gilson Medeiros apontou ainda Marquinhos Santos como o pivô da ausência de Ortega e os demais atletas citados em campo, que, segundo ele (o empresário), poderia estar atuando em outra competição. "Os jogadores ficaram escanteados após a chegada do Marquinhos. O Cássio estava acertado para jogar o Paulistão pelo Mirassol. Veio para o Fortaleza depois de o clube ter insistido na sua contratação e aí não teve espaço pra jogar", criticou. 

Para o Diretor de Futebol do Fortaleza, Marcelo Paz, "quando o jogador não está jogando, o empresário diz o que lhe convém". O dirigente qualificou como natural esse tipo de acusação (devido o não aproveitamento de Cássio Ortega), disse desconhecer qualquer situação de salários atrasados e ressaltou que todos os atletas citados pelo empresário tiveram chance em campo. 

"Todos tiveram oportunidade de jogar. Eu não vejo como o treinador tenha deixado de lado os jogadores", justificou. Paz destacou ainda que isso é secundário e que o clube, no momento, só pensa no jogo contra o Ferroviário. 

No treino desta segunda-feira, 17, não treinaram os laterais esquerdos Bruninho e Allan Vieira, o meia Cássio Ortega e o atacante Juninho Potiguar. O motivo da ausência, segundo Marcelo Paz, é que o clube optou por levar ao Castelão, local do treino, apenas os jogadores que estão sendo relacionados para as partidas. O diretor de futebol informou ainda que Bruninho já acertou desligamento com o Fortaleza, mas que ainda não há definição sobre permanência ou não dos demais. 

O empresário de Cássio Ortega disse que o Fortaleza já tentou um acordo para liberar o atleta, mas nada foi fechado por receio de não cumprimento do acerto, uma vez que, segundo Gilson Medeiros, o clube não honrou o acordo com Moacir (lateral direito que atuou no Fortaleza ano passado, que também é empresariado por Gilson). Ele cogita ainda colocar o clube na justiça.

O empresário de Juninho Potiguar admitiu a possibilidade do atleta não seguir no clube no segundo semestre de 2017, por desejo da diretoria, mas afirmou que o atleta não treinou porque está com dengue. 

Gigliani Maia, Diretor Financeiro do Fortaleza, disse que existe um planejamento de dispensas e que algumas negociações estão sendo feitas, mas não disse com quais atletas.


FONTE - O POVO
FONE: 34121595 FIXO - (88) 9-92026830 CLARO (88)9 -98602540  TIM
JORNAL CENTRAL  QUIXADÁ WATSAPP 88 - 9 - 96331144
POSTADA  POR GOMES SILVEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário