segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

PALMEIRAS - Saiba como o Palmeiras gastou R$ 100 milhões para quebrar um tabu de 22 anos no Brasileiro

O Palmeiras divulgou nos últimos dias aos seus membros do Conselho Fiscal o balancete do mês de novembro, onde é possível ver todos os gastos do clube em seus departamentos. No futebol, enquanto a equipe confirmava o título do Brasileirão
depois de um jejum que durou 22 anos, os gastos ficaram em cerca de R$ 100 milhões desde a chegada do técnico Cuca.
O treinador foi o responsável por montar o time que sobrou na Série A, vencendo a competição com antecedência e larga vantagem para os demais concorrentes.
Em abril, primeiro mês de Cuca no cargo, os gastos foram de R$ 5.595.030,00 em salários de atletas, mais R$ 1.542.014,00 com ganhos da comissão técnica e R$ 3.655.729,00 em direitos de imagem.
Ainda deve se somar ao montante outros R$ 19.583,00 com marketing do futebol, R$ 112.922,00 com administração do departamento, R$ 79.927 com funcionários do CT da Barra Funda e R$ 71.055,00 com a equipe que faz assessoria de imprensa do time.
No total, portanto, o primeiro mês de Cuca no clube teve gastos salariais de R$ 11.076.604, em operação que não inclui os gastos com os profissionais das categorias de base - se incluisse, o valor teria o acréscimo de aproximadamente R$ 500 mil.
Os gastos são parecidos nos meses seguintes. Em maio, por exemplo, foram R$ 6.035.394,00 em salários de jogadores, R$ 1.491.343,00 à comissão técnica de Cuca e outros R$ 2.655.336,00 em imagem.
O mês de novembro, que teve a confirmação do título brasileiro do Palmeiras após 22 anos de jejum, teve os seguintes gastos: R$ 5.675.387 em salários de atletas, R$ 1.159.043 à comissão técnica, R$ 3.503.614 em direitos de imagem, R$ 94.571 aos funcionários do CT da Barra Funda, R$ 51.242 à assessoria de imprensa do futebol, R$ 89.989 ao setor administrativo e R$ 19.374 ao marketing, totalizando R$ 10.592.220.
De abril a dezembro, com Cuca, o Palmeiras gastou aproximadamente R$ 100 milhões apenas em salários. Mas valeu a pena: o clube voltou a gritar "campeão" no Brasileirão, fato que não acontecia desde 1994, e retornou à Copa Libertadores da América.
No ano que vem, o treinador do time alviverde será Eduardo Baptista, que em 2016 treinou a Ponte Preta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário